Artigo Mulher, mãe e filha cuidadora: imaginários coletivos sobre relações intergeracionais

Autoria Natália Del Ponte de Assis; Carlos Del Negro Visintin; Andrea de Arruda Botelho Borges; Tânia Maria José Aiello-Vaisberg

Revista Psicologia Clínica – vol.32 nº.2 Rio de Janeiro maio/ago/2020

RESUMO

Inserindo-se no contexto de trabalhos científicos que vêm abordando o fenômeno, cada vez mais ampliado, de possibilidade de convivência entre diferentes gerações, em vários âmbitos sociais e institucionais, esta pesquisa tem como objetivo investigar imaginários coletivos sobre relações intergeracionais. Configura-se metodologicamente por meio da abordagem psicanalítica de um curta-metragem disponível na internet. Exposições dos pesquisadores ao material, em estado de atenção flutuante e associação livre de ideias, permitiram a produção de três campos de sentido afetivo-emocional: “Sentidos para o viver”, “Sobra tudo para mim” e “Mulher/mãe/filha cuidadora”. Tais campos revelam a prevalência de crenças imaginativas segundo as quais a convivência entre avós e netos seria lúdica e promoveria aprendizagens significativas, desde que sustentada por uma adulta capaz de cuidar de todos. O quadro geral indica que relações saudáveis entre crianças e idosos requerem sustentação em termos do suprimento de suas necessidades materiais e afetivas, o que tende a permanecer sob responsabilidade de mulheres-mães-filhas que se encarregam do sustento financeiro, das tarefas domésticas e dos cuidados com os familiares.

Link para o Artigo http://dx.doi.org/10.33208/PC1980-5438v0032n02A01