IV Enc Lat dos estados gerais da psicanálise 2005

- Tânia Maria José Aiello Vaisberg e Maria Christina Lousada Machado

 

RESUMO

No entender das autoras, o uso de narrativas por meio das quais o acontecer clinico pode ser presentificado é uma estratégia investigativa que, mantendo-se radicalmente fiel ao metodo psicanalitico, vem demonstrando notável vitalidade num registro heurístico. Cultivando a atenção flutuante, o sonhador brincante é o próprio clinico que se deixa tocar pelo encontro vivido com seu paciente, para depois comunicá-lo a seus pares sob a forma de narrativas. Estas se assemelham a sonhos, entendidos essencialmente como visitações do drama existencial, a partir das quais é possível “brincar”, tanto no momento da elaboração do relato experiencial, quanto no momento da interlocução com outros profissionais, uma vez que a narrativa tem o dom de jamais esgotar os possíveis sentidos emocionais de um encontro terapêutico, em si mesmo transbordante.

Texto completo:

ver em pdf