Tese, Fabiana Follador e Ambrosio, 2013

 

RESUMO

O presente trabalho tem como objetivo descrever o Procedimento ‘Ser e Fazer’ de Acompanhamento de Intervenções Psicoterapêuticas e demonstrar sua potencialidade heurística. Trata-se de proposta que pode ser considerada uma alternativa fecunda no campo das investigações qualitativas, caracterizando-se como estratégia de operacionalização do método psicanalítico. Contrapondo-se ao posicionamento daqueles que consideram as psicoterapias como experiências cientificamente inabordáveis, este trabalho justifica-se a partir de perspectiva ética e investigativa segundo a qual toda e qualquer prática clínica pode e deve ser examinada em termos de seu poder de gerar – ou não – benefícios consistentes. Exige, também, que os termos usados nas pesquisas sobre a eficácia clínica sejam suficientemente claros para que possam ser estabelecidas interlocuções com psicólogos que se valem de outros referenciais teórico-metodológicos, com profissionais de outras áreas e também com a sociedade. Metodologicamente, o presente estudo realiza-se por meio da apresentação do Procedimento ‘Ser e Fazer’ de Acompanhamento de Intervenções Psicoterapêuticas e do exame de sua utilização, efetuado considerando-se material clínico proveniente de uma investigação científica, já publicada, realizada independentemente por outro pesquisador. Pode ser demonstrado que o procedimento é clinicamente útil, na medida em que favorece uma percepção compreensiva, tanto de movimentos mutativos, como de dificuldades eventuais que estejam em jogo. Fica assim firmada uma alternativa de avaliação de eficácia clínica que, mantendo-se maximamente próxima do acontecer humano e da dramática que neste se expressa, guarda coerência com o método psicanalítico e com as demais perspectivas qualitativas, que consideram a conduta humana em termos de ação e sentido.

Texto completo:

ver em pdf