Caderno Laranja

Texto de Tânia Maria José Aiello-Vaisberg, extraído do Caderno Ser e Fazer  - O Brincar.

Já acostumados com um estilo vivo e poético, muitas vezes pontilhado por ditos espirituosos, altamente precisos mas igualmente capazes de estimular movimentos no sentido de uma apropriação pessoal, os leitores de Winnicott são habitualmente capazes de lembrar-se de algumas formulações magistrais, desde aquela que declara a inexistência dos bebês até uma espécie de prece, na qual pede poder ser autêntico mas também ser capaz de comportar-se bem. Quero, então, iniciar este texto, lembrando uma das suas colocações marcantes, que se encontra num artigo muitíssimo importante, voltado à questão do desenvolvimento emocional primitivo: (…)

 

Texto completo:

ver em pdf