Psicologia Clínica – vol. 26, n.2, p. 49-62, 2014.

Autoras: Clarissa Medeiros e Tânia Maria José Aiello-Vaisberg

RESUMO

O presente estudo se insere em um conjunto de pesquisas que indicam que mudanças clínicas significativas, consistentes e duradouras podem ser alcançadas quando o paciente pode usufruir de uma experiência emocional de sustentação. Estabelece como objetivo contribuir para uma compreensão mais profunda e detalhada deste delicado modo de ação psicoterapêutica, abordando-o à luz de dois fenômenos: o de experiência completa e o da oferta do tempo. Articula-se, em termos metodológicos, ao redor de um estudo de caso, que é apresentado sob forma de narrativa transferencial e reconsiderado no contexto de interlocução com o pensamento de D. W. Winnicott. Esta démarche investigativa permite concluir que este tipo de trabalho clínico não se funda no domínio da técnica e sim no cultivo, por parte do terapeuta, de um posicionamento existencial de reconhecimento das necessidades do outro, vale dizer, num registro ético.
Palavras-chave: psicanálise; psicoterapia; D. W. Winnicott; intervenção;
holding.

REFLEXÕES SOBRE HOLDING E SUSTENTAÇÃO