Tese, Cristiane Helena Dias Simões, 2012

 

RESUMO

Considerando que as práticas clínicas baseiam-se tanto em conhecimentos científicos como em crenças e valores, o presente trabalho tem como objetivo investigar psicanaliticamente o imaginário coletivo de trabalhadores de saúde mental sobre o paciente psiquiátrico. A partir de entrevistas, articuladas ao redor do uso transicional de diferentes recursos mediadores, integrantes da equipe de uma instituição psiquiátrica foram abordados individual e coletivamente com o intuito de permitir a expressão subjetiva de uma pessoalidade transindividual. Os registros do acontecer clínico foram interpretativamente considerados à luz do método psicanalítico, permitindo a produção compreensiva de três campos de sentido afetivo-emocional: “Sofredores Psicóticos”, “Impostores Dependentes” e “Vítimas da Sociedade Contemporânea”. Os dois primeiros campos corresponderiam a subestruturas de um único imaginário, fundamentalmente comprometido com a tarefa de discriminar, para efeitos da obtenção de controle, o verdadeiro doente do indivíduo com problemas de caráter, o sintoma involuntário daquele que seria fruto da decisão pessoal de agir de modo moralmente condenável. O terceiro campo aponta para uma percepção diversa, que concebe o sofrimento psíquico como resultante direta de condições sociais concretas. O quadro geral suscita reflexões sobre a vinculação existente entre os campos do imaginário aqui criados/encontrados e importantes questões do campo da Psicopatologia, da Psiquiatria e da Psicologia psicanalítica.

Texto completo:

ver em pdf