Dissertação, Angela Maria Teixeira, 2006

 

RESUMO

Considerando que a deficiência adquirida na fase adulta modifica a vida pessoal radical e dramaticamente, investigamos a vivência de dois portadores de paraplegia com mais de dois anos de cadeira de rodas. A partir de uma perspectiva clínico-qualitativa, centramos as estratégias metodológicas no uso da “prosa” e do “prosear”, concebidos como uma conversa demorada, na qual os “causos” da vida são relatados vagarosamente, num movimento de apropriação da cultura mineira. Gravações de conversas foram ouvidas várias vezes, permitindo uma elaboração posterior das “prosas” sob a forma de narrativas, que puderam ser analisadas de acordo com a Teoria Psicanalítica dos Campos. Constatamos que o sofrimento dos entrevistados articula-se primordialmente a partir de três campos vivenciais, que denominamos de maternalização, negação da sexualidade e aposentadoria precoce.

Texto completo:

ver em pdf